Financie Sonhos

Compartilhar Presentes Multiplica Alegrias

A atividade estimulou as crianças no desenvolvimento de suas habilidades

E foi isso que a participante do COAMA, Alice Gabriely de Oliveira Balbuino, fez ao ganhar 20 reais. Alice “contratou” os serviços da avó, que é artesã, para produzir um lindo presente, para oferecer aos seus amigos.

Como era um presente para muitos amigos ela optou por criar um concurso de habilidades, onde o mais votado ganharia o lindo estojo confeccionado por sua avó.

O critérios definidos pelos próprios participantes foram: responsabilidade, cuidado e respeito.

Várias habilidades concorreram ao prêmio: desenhos, culinária, jogos e até adestramento de cães.

A ação criada por Alice proporcionou, a ela e aos seus amigos, a vivência de sentimentos e valores como gratidão, alegria, companheirismo e responsabilidade, agregando muito mais valor ao presente.

O ganhador foi Vinicius Samuel Correia de Brito, que cumpriu os três critérios com a apresentação de seu cãozinho, adestrado por ele.

Os demais concorrentes não ficaram de fora da premiação, receberam presentes de incentivo pela participação.

Segundo Alice, “a atividade foi uma forma de conhecer os talentos dos amigos“.

 

 

Hora do Intervalo – Aprender Brincando de “Pular Cordas”

É só festa e alegria, deixando sempre o gostinho de quero mais, de: “Ah!. Acabou o intervalo?”
Brincar não é perder tempo, é ganhá-lo.” Carlos Drumond de Andrade

O brincar, por ser uma atividade livre que não inibe a fantasia, favorece o fortalecimento da autonomia da criança e contribui para a não formação e até quebra de estruturas defensivas. Oliveira (2000, p. 19)

Que bom se nós adultos disponibilizássemos tempo para que nossas crianças interiores realizassem seus sonhos contidos – desde que saudáveis.

O brincar proporciona estímulos essenciais para o desenvolvimento cognitivo e afetivo da criança. Como interação social no processo de construção dos conhecimentos de forma prazerosa, antecipa o desenvolvimento, estimula a imaginação, alimenta a motivação, desenvolve habilidades e atitudes necessárias à sua participação social de tal forma que possibilite descobrir, vivenciar e modificar regras respeitando a individualidade.

Por isso, no Corassol a “brincadeira” é considerada de essencial importância quando da elaboração do planejamento das atividades.

 

Árvore dos Bons Sentimentos e Sonhos

Tudo tem um começo, até mesmo o desenvolvimento de bons sentimentos e a realização de sonhos.
Pensando nisso, o grupo trocando ideias, durante atividades de desenvolvimento humano, construiu uma “Árvore dos Bons Sentimentos e Sonhos”.
Resolvemos unir artes e preservação ambiental, para treinar cultivar bons sentimentos e sonhos, e colher bons frutos. Fomos até a praça mais próxima para recolher galhos, folhas e sementes. As crianças dividiram-se em grupos de responsabilidade, para a coleta de cada tipo de material. Ao retornarmos, as equipes, de forma organizada e colaborativa, construíram a árvore. O resultado não poderia ser outro: linda árvore que vai abrigar os bons sentimentos e sonhos que identificarmos no dia a dia!“, disse entusiasmada a Orientadora Cláudia Helena de Sousa.
Você ainda se lembra dos seus sonhos, principalmente os da infância?
Já pensou em realizá-los?
Entre em contato conosco, quem sabe possamos compartilhar algumas realizações.

 

 

 

 

 

 

Livro da escritora Ruth Rocha inspira crianças do Corassol

Crianças confeccionam Personagens com materiais reciclados

O livro “Os Direitos das Crianças”, de Ruth Rocha foi apresentado para a turminha do Aconchego, através de uma linguagem divertida e lúdica. O livro aborda sobre os direitos das crianças que: “Não devem ficar restritos aos direitos jurídicos expressos pela Declaração dos Direitos das Crianças”, explica Ruth em seu site, ruthrocha.com.br.

Em pequenos poemas, a autora traz situações que deveriam fazer parte da infância: dormir numa cama quentinha, ter comida no prato, brincar e se divertir, ser abraçada e cuidada, entre outras.

Utilizando o livro como fonte inspiradora, a galerinha foi desafiada a interpretar a história do seu jeito, utilizando as técnicas de teatro de fantoches.

Eles confeccionaram personagens com palitos de sorvete, cola, papelão e fios de lã. Por fim, mostraram aos participantes o que entenderam do livro”, declarou a orientadora Maria Carolina Bueno.

De acordo com Ruth em seu site, o objetivo do livro é “…chamar a atenção para o fato de que a infância é um tempo muito curto, mas é o período em que se constrói o direito à felicidade“.

CORASSOL PARTICIPA DE JOGOS DA PRIMAVERA

Um projeto de integração comunitária entre as crianças e adolescentes da Casa das Mangueiras e Corassol

 

 

Através da harmonia e semelhança entre as duas instituições, o Corassol e a Casa das Mangueiras organizaram o “1° Jogos da Primavera”, evento que ocorreu na Casa das Mangueiras, na semana de 26 a 30 de setembro.

A Casa das Mangueiras, legitima anfitriã, proporcionou ao Corassol sentir-se parte de um grupo maior, sendo enfatizada nesta parceria a expressão dos valores humanos em todos os instantes: na formação de equipes, nas diversas práticas esportivas, nos momentos culturais e de pura diversão.

A partir da visão do desabrochar das flores que a primavera proporciona, a integração entre as instituições mostrou o quanto as crianças e adolescentes estão abertos ao novo e interessados em compartilhar.

Não por acaso, o resultado dos jogos foi paz e amor, valores que expressaram os sentimentos predominantes em todos os envolvidos com a integração.

Arthur Schopenhauer, na frase abaixo, traduz nosso sentir e pensar: “Do mesmo modo que no início da primavera todas as folhas têm a mesma cor e quase a mesma forma, nós também, na nossa tenra infância, somos todos semelhantes e, portanto, perfeitamente harmonizados.

 

 

 

CORASSOL VISITA EXPOSIÇÃO DE “MARINA COLASANTI – A MOÇA TECELÔ, NO SESC RIBEIRÃO

A exposição vai até dia 16 de Outubro.

 

O projeto “Tirando de Letra”, do Sesc, trouxe para Ribeirão Preto a exposição “Marina Colasanti a Moça Tecelã” que acontece de 30 de julho a 16 de outubro. O Corassol esteve presente, e as crianças e adolescentes do COAMA puderam conhecer os quadros, esculturas e poesias de várias obras de Marina.

Ao chegar à exposição, assistiram à contação da história “A moça Tecelã”, feita com muito carinho pelos monitores do Sesc. A fábula narra o dia a dia de uma moça que tece de tudo e nada falta a ela. Tece com cuidado e amor, expressando seus sentimentos através das cores das linhas de tear, e ao longo da história descobre surpresas, assim como descobrimos em nossas vidas.

Caminhando pelos túneis coloridos, que representam os fios do bordado da “Moça Tecelã”, nossos pequenos tiveram a sensação de estar dentro do mundo da jovem sonhadora.

Aline Gabriele de Oliveira Baldoino, do Trocando Ideias, relatou que: “Os fios formavam um túnel, que saíam de uma maquina de tecer e ia por todo o Sesc. Parecia que estávamos dentro de um casaco de lã. Cada parte da exposição era uma cor diferente! Eu amei conhecer as histórias, amei estar lá.”

Para o orientador Henrique Bertolini, a exposição foi ótima oportunidade para as crianças terem contato com literatura e arte. “Estava muito linda, colorida, cheias de textos, quadros e artes feitas pela Marina. Foi uma oportunidade das crianças adquirirem e aprimorarem o olhar artístico.”

Os relatos nos mostram experiências ricas para o desenvolvimento do imaginário das crianças e adolescentes, e esses aspectos favorecem o desenvolvimento de indivíduos mais criativos.

A exposição
Vai até 16 de Outubro, de terça a sexta, das 13h30 às 21h30 e aos sábados e domingos, das 10h às 18h, no Sesc Ribeirão Preto, que fica na rua: Tibiriça, n° 50, Centro.

 

 

sala de leitura

Teoria + Prática: Corassol desenvolve novas atividades com o tema sustentabilidade

A sala de leitura despertou, nas crianças o interesse por pesquisas

Promover a sustentabilidade sempre foi uma preocupação do Corassol. E atualmente, uma nova atividade tem conseguido proporcionar o conhecimento teórico, que tem sido enriquecedor no desenvolvimento de atividades práticas sobre o tema.

Trata-se do uso da sala de leitura pelas crianças da turma Aconchego, do Programa Construindo o Amanhã (Coama), para pesquisas ligadas à sustentabilidade. Além do conhecimento teórico, a iniciativa visa um maior entendimento sobre o tema, para que assim ele seja utilizado na Oficina de Criatividade, que constantemente utiliza materiais reciclados para produzir brinquedos e diversos outros tipos de itens.

Segundo a Orientadora Claudia Souza, as crianças estão empolgadas com a nova forma de adquirir conhecimento. “Aliar a teoria e a prática neste caso é uma forma de fazer com que eles saibam mais sobre sustentabilidade e que, com isso, consigam ter uma postura mais sustentável, além de poderem se tornar agentes de transformação em suas casas, escolas e outros ambientes em que circulem”, disse.

 

Crianças e adolescentes do Corassol fizeram participação especial no espetáculo do ‘Espaço Ophelia Camassuti’

A apresentação proporcionou a alguns familiares a oportunidade de irem ao teatro pela primeira vez

No Sábado dia 9 de Julho, as crianças e adolescentes do Corassol fizeram apresentação especial no espetáculo “Amores do Sertão e Outras Histórias” – encerramento das atividades do semestre Espaço Ophélia Camassuti – no teatro Santarosa.

Após a “Festa da Colheita”, onde as crianças e jovens do Coama (Construindo o Amanhã) apresentaram com muito empenho a coreografia “Colheita”, feita pela orientadora de dança Joyce Camassuti, algumas foram convidas para participar do espetáculo.

Houve dois atos no espetáculo: o primeiro, “Outras Histórias”, com coreografias inscritas em festivais de dança fora da cidade; no segundo, “Amores do Sertão”, foram exibidas coreografias e encenações teatrais.

Para Emanueli Cristina Rezende Arditi, do Vivenciando Adolescer I, o seu maior desafio era vencer a timidez na apresentação. “Nos ensaios eu estava bem envergonhada, mas no dia eu perdi a vergonha. Eu amei! Eu já havia feito aulas de balé e dançado em teatro, mas gostei muito dessa experiência.”

“A experiência de leva-los para a apresentação foi incrível! Eles estavam muito ansiosos na hora do ensaio e no momento da apresentação. Apresentar com outras pessoas do meio da dança e teatro, para eles é uma experiência maravilhosa”, comenta Joyce.

Já para Giovanna Firmino Messias Martins , do Vivenciando Adolescer I, o espetáculo foi sua primeira apresentação de dança fora do Corassol. “Eu fiquei com muita vergonha e nervosa porque meus pais estavam lá e eu nunca tinha apresentado nada na frente de tanta gente. Quero de novo.”

A presença dos familiares na apresentação foi de extrema importância, pois alguns familiares nunca tinham ido ao teatro. “Quando falei sobre a apresentação das crianças eles amaram. O mais interessante é que, além dos pais, outros familiares quiseram ir, como: tios, irmãos e avós. Muitos nunca tinham ido ao teatro”, disse a Assistente Social do Corassol, Jaqueline Abreu.

 

Intervalo para brincar e criar

As crianças do Corassol criam seus jogos e se divertem na hora do lanche

É através do brincar que crianças e adolescentes do Corassol têm espaço para buscar seu desenvolvimento psicossocial. Com interação e descontração no momento do lanche encontramos o espaço para recreação, onde o protagonismo infantil toma conta dos membros da instituição.

Além de escolherem qual jogo brincar, elas se responsabilizam pela criação dos brinquedos que constroem com material reciclado, na Oficina de Criatividade, como, por exemplo, a peteca e o vai e vem. Divertem-se também com brincadeiras de roda, pula corda, peteca, pique-esconde e jogos de tabuleiro. Durante essas atividades do intervalo as crianças são responsáveis pela organização e andamento das mesmas.

Como o orientador Henrique Bertolini destaca: “o brincar faz a criança desenvolver habilidades e valores como respeito, trabalho em grupo, organização, entre outras. Com isso elas enriquecem suas multipotencialidades”, diz.

Sendo assim, essas práticas colaboram positivamente no desenvolvimento dos envolvidos. A recreação na hora do intervalo PROMOVE aberturas para que sejam trabalhadas questões relacionadas à diversidade, colaboração, respeito e troca de vivências.

De acordo com a assistente social Jaqueline Abreu, a atividade PROMOVE a vivência intergeracional e a iniciativa contribui para que cada criança ou adolescente auxilie no desenvolvimento um do outro.

Descontração e diversão são sinônimos de “criança feliz”, o que é fácil encontrar aqui no Corassol, pois promover integração para boa convivência humana é um dos objetivos do Programa Construindo o Amanhã (Coama).

 

Projeto Respeito às nossas diferenças promove despertar e aproximação através da Empatia

Leitura do livro “Tudo Bem Ser Diferente” leva crianças do Coama à reflexão sobre diferenças e como conviver com elas

Em roda de conversa descontraída e enriquecedora, as crianças do Aconchego, oficina do Programa Construindo o Amanhã, após leitura do livro “Tudo Bem Ser Diferente”, do autor Todd Parr, compartilharam opiniões e experiências sobre aceitação das diferenças, que leva à aceitação do próximo.

Dentro do universo das diferenças, predominaram as físicas, culturais e de gênero. “O objetivo é propiciar condições para o desenvolvimento da afetividade e da solidariedade, que conduzem à aproximação amorosa e consequente auxílio mútuo”, esclareceu a orientadora Ivana Pontes.

Falaram sobre preconceitos como o de gêneros e adoção, mas o assunto que mais despertou interesse foi saber como vivem pessoas portadoras de deficiência.

“Convidamos a Bruna, jovem residente na Casa Caio, que tem deficiência visual, para fazer a leitura de um livro em Braile. Foi um momento lindo, quebrou as barreiras da diferença”, concluiu Ivana.

Segundo o orientador que aplicou a atividade, Henrique Bertolini, essa experiência foi muito enriquecedora. “Chegou-se à conclusão de que nossas diferenças são de extrema importância, já que seria muito chato sermos todos iguais”.