Financie Sonhos

Casa Caio recebe doação de Campanha feita em Rede Social

A doação foi feita pela estudante Karina Nomelini Bozzo e amigos

A estudante de administração da USP-FEA, Karina Nomelini Bozzo de 21 anos, juntamente com seus amigos, lançaram a Campanha “AlimentAÇÃO SOCIAL” no “Facebook” e doou mais de mais 21kg de alimentos para a “Casa Caio”.

Segundo a estudante, foram arrecadados cerca de 275kg de alimentos, através de curtidas em seu post: “ Eu fiz uma publicação no Facebook, e falei que a quantidade de curtidas que eu recebesse, seria de itens que iria doar, então consegui 270. Arrecadei os alimentos e dividi com algumas instituições, inclusive a Casa Caio”

“Esse foi o primeiro projeto que eu construí com a colaboração de alguns amigos. Isso nos motivou a fazer novas campanhas para atender as necessidades da Casa Caio. Tivemos algumas ideias: fazer uma horta e um espaço temático em uma das salas da instituição, para os acolhidos usarem na realização de atividades de pintura, brincadeiras e jogos,” declarou Karina.

Ainda completou: “A visita à instituição me energizou para ajudar mais aqueles que precisam”.

Ajude a Casa Caio

Quem puder contribuir com doações de: leite, margarina, suco, carne, extrato de tomate, óleo, legumes, verduras, frutas e desinfetante “Pinho Sol”, etc, procure a Casa Caio, que fica na rua Curupaiti, 226, Monte Alegre, ou ligue: 16 3934-9998.

 

 

casa caio

Projeto Mães em Oração visita Casa Caio e faz festa de aniversário para acolhidos

Além da festa, as voluntárias do projeto doaram de mais de 60 pacotes de papel higiênico

Voluntárias do projeto Mães em Oração, juntamente com o pastor Otoniel Lima, da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), visitaram a Casa Caio, 25 de junho, para homenagear os acolhidos aniversariantes do mês de maio, com deliciosa festa e doação de mais de 60 pacotes de papel higiênico.

 

Segundo Adélia Murakami, psicóloga da Casa Caio, a ação foi gratificante: “Encontrar pessoas que queiram fazer campanhas, ajudar e ter contato com os acolhidos, isso é muito importante para nós”.

 

casa caio

Ainda, de acordo com a psicóloga, a festa proporcionou alegria a todos, além da oportunidade de vivenciar experiências diferentes. “No dia a dia é difícil tira-los da cama, já no dia da festa todos levantaram sozinhos, se arrumaram e ficaram ansiosos esperando na sala. Ver a casa decorada, com pessoas novas oferecendo carinho e atenção, causou um impacto na vida deles”, comenta Adélia.

 

Ajude a Casa Caio

Quem puder contribuir com doações de: leite, margarina, suco, carne, extrato de tomate, óleo, legumes, verduras, frutas e desinfetante “Pinho Sol”, etc, procure a Casa Caio, que fica na rua Curupaiti, 226, Monte Alegre, ou ligue: 16 3934-9998.

 

“Quem quiser conhecer a Casa Caio, é só ligar e agendar um horário, que estaremos esperando de portas abertas. A comunidade tem participação imprescindível em seu funcionamento”, conclui a psicóloga Adélia.

 

Ao procurar a instituição e saber das necessidades de produtos de higiene pessoal, a voluntária do projeto, Valéria Brito, movimentou uma campanha. “Todo mês o nosso projeto visita instituições de Ribeirão Preto, pois a nossa intenção é ajudá-las de alguma forma. Ao pesquisar algumas, liguei na Caio e descobri as necessidades da casa, então nos mobilizamos, levamos os produtos e fizemos uma festa para todos, disse Valéria”.

 

casa caio

Moradores da Casa Caio se divertem ao visitar zoológico

Na tarde desta quarta-feira (22), os moradores das duas unidades da Casa Caio – Residência Inclusiva, serviço realizado pelo Corassol, passearam no Bosque Municipal Fábio Barreto.

O passeio, acompanhado por cuidadores e assistente social, durou pouco mais de uma hora. Apesar de rápido, foi tempo suficiente para deixar todos encantados.

Já no caminho, dentro da van, eles comentavam sobre o que poderiam ver. Uns estavam mais animados. Outros, quietinhos, enquanto aguardavam.

Assim que chegaram, subiram às ‘ruas’ do zoológico. Todos entusiasmados. E logo apareceram os primeiros bichos, para alegria geral.

Luzia, moradora da unidade II da Caio, ficou eufórica quando encontrou o espaço das araras. “Elas ficam conversando, querem falar. Eu gosto muito. Queria ter uma em casa”, disse, enquanto observava as aves, cheia de ternura.

Mateus, morador da Casa Caio, começou a bater palmas ao ver os animais.

Passeios são importantes

Passeios como esse são extremamente importantes para os moradores da Casa Caio, tanto para o desenvolvimento pessoal, quanto para a socialização. Essa é a terceira vez que eles vão ao bosque, mas a primeira estando todos juntos.

Mateus é o exemplo mais gratificante. Quando chegou à instituição, sozinho não conseguia nem pegar água. Agora, consegue. E a gente comemora”, conta a cuidadora Elaine Murakami, orgulhosa pela superação do rapaz.

Para Elaine, isso ajuda a acalmá-los. “Esses passeios os tiram da rotina. Quando voltamos, eles ficam dias contando o que viram. É muito gostoso. Nas próximas vezes, quando disser que vamos ao bosque, eles já saberão que isso significa ver bicho, passear e estar num lugar agradável.”